O NÚCLEO

O NEPAFRO - Núcleo de Estudos e Pesquisas da Afro-América, foi fundado em 2014 por pesquisadoras e pesquisadores de diferentes universidades brasileiras e áreas do conhecimento, a partir de um interesse comum: compreender o mundo moderno. Para nós, esse objetivo só pode ser alcançado a contento se considerarmos a centralidade da diáspora africana para a constituição daquilo que se convencionou chamar de Modernidade. 

 

A diáspora africana – movimento de dispersão forçada de milhões de mulheres e homens de diferentes regiões do continente africano, através do comércio atlântico de escravizados – povoou as Américas com tecnologias, instrumentos e objetos da cultura material, religiosidades e valores civilizatórios. A despeito de suas condições de existência, ou partindo delas, africanos e seus descendentes assumiram papel central na formação de diferentes sociedades do continente americano, e foram muito mais do que escravizados. A escravidão e as lutas pela abolição foram fenômenos hemisféricos e, portanto, são imprescindíveis para a compreensão do presente: seus legados, continuidades e rupturas marcam profundamente a contemporaneidade. 

 

As relações entre o Brasil, as Américas e o continente africano foram fundamentais para a estruturação da economia capitalista e para a conformação das relações sociais de produção que organizam as relações globais. Elas também estão presentes na construção dos imaginários e das complexas questões relacionadas à cultura e identidade. As formas de exploração e opressão que operam a partir do racismo e os diferentes meios de resistência encampadas por lutas que as populações afro-descendentes protagonizam hoje, são as principais temáticas promovidas nas pesquisas desenvolvidas pelo NEPAFRO.

Brasil, Américas e Áfricas. Passado e Presente. Pensamento, Política e Cultura. É partindo dessas palavras que o NEPAFRO realiza atividades de pesquisa (grupos de estudos), ensino (cursos, palestras) e extensão (consultorias, publicações, assessorias), que possuem como objetivo a promoção de uma agenda teórica e política capaz de oferecer respostas às contradições do nosso tempo e construir, com a urgência necessária, os caminhos para a emancipação humana. 

Pensamento Social Brasileiro

O Grupo se reúne mensalmente, retomando obras clássicas da tradição de interpretações do Brasil a partir do crivo das relações raciais. Estão previstos, como resultados dos estudos, a realização de seminários, cursos e publicações.

Escravidão e Liberdade - História e Historiografia

A historiografia da escravidão e da liberdade nas Américas é uma das mais pujantes do globo. Isso porque a escravização de africanos entre os séculos XVI e XIX foi fundamental para a constituição do mundo moderno. Partindo de obras de referência nesse campo, o grupo de estudos propõe a leitura e discussão coletiva, relacionando os temas recorrentes dessa historiografia (tráfico e comércio negreiros, trabalho e economia-mundo, revoltas e rebeliões, aquilombamento, famílias e parentesco, infância, gênero, iconografia, etnicidade, entre outros) aos processos que fundamentaram a constituição dos estados nacionais americanos (perspectiva afro-americana), bem como seu papel para a formação das sociedades pós-emancipação. O grupo produzirá, a cada encontro, resenhas críticas das obras lidas, construindo um arcabouço teórico que ofereça à sociedade referências para a compreensão do papel da escravidão e da luta pela liberdade para o mundo contemporâneo.